Desmembrando o curso de design de interiores

 em Decoradora de interiores em São Paulo, Dicas

design de interiores curso, design de interiores faculdade, grade design de interiores e design de interiores salário

design de interiores curso, design de interiores faculdade, grade design de interiores e design de interiores salário

Desmembrando o curso de design de interiores

Com este artigo, entenda melhor a profissão de design de interiores.

Muitos estão passando pela fase da escolha profissional e tem como opção o design de interiores. Mas você sabe como funciona essa profissão? Te explico tudo agora!

O profissional de design de interiores trabalha juntamente com arquitetos. Sua principal função é planejar e organizar os espaços internos, sendo eles comerciais, industriais ou residenciais, selecionando madeiras, acessórios, acabamentos, iluminação, entre outros pontos que dão personalidade ao ambiente.

Seu principal objetivo de um design de interiores é transformar o espaço ocupado pelas pessoas em um ambiente confortável, eficiente e funcional. Suas tarefas consistem em identificar e solucionar aspectos insalubres nas obras, desenvolver projetos que prezem o respeito ao meio ambiente e bem estar, aspectos como economia, cultura, tecnologia e ergometria também devem estar no projeto.

É sua responsabilidade escolher os fornecedores, prestar assessoria ao cliente e cumprir o cronograma de obra estabelecido pela empresa de arquitetura responsável pelo projeto.

Para desenvolver um projeto, é necessário utilizar metodologias específicas, que incluem o levantamento das necessidades dos clientes, pesquisa e adequação da obra com a estrutura e normatização do edifício, além da localização de cada cômodo e como ele deve ser utilizado.

1 – Campo de atuação

O campo de atuação para um design de interiores é muito vasto, podendo prestar serviços de diversas maneiras:

– Autônomo (ter seu próprio escritório);

– Imobiliárias (trabalhando com home staging);

– Escritórios de design e arquitetura de outros profissionais;

– Empresas de projetos de interiores;

– Lojas de móveis e decoração (prestando assessoria aos clientes);

– Lecionar em cursos de design de interiores

– Entre outras áreas que envolvem decoração de ambientes.

Algumas das tarefas destinadas ao designer de interiores são:

– Desenho de móveis: projetar mobiliário, buscando desenvolver peças conforme as necessidades de cada cliente. Adaptar o espaço disponível é uma das suas habilidades.

– Decoração e paisagismo: realizar um projeto com a colocação dos móveis e acessórios em seus respectivos locais. O paisagismo dos jardins também é função desse profissional.

– Gerenciamento: acompanhar a compra e a colocação dos móveis também estão dentro das tarefas do designer de interiores. Orçar e contratar mão de obra para prestar os serviços é fundamental, afinal, pode-se garantir a qualidade do projeto.

– Projeto: Compreender as necessidades do cliente e encontrar uma solução que se adeque à realidade apresentada, encaixando o orçamento na verba e mesmo assim, apresentando um resultado satisfatório e encantador.

– Sustentabilidade: Os projetos que utilizam conceitos de sustentabilidade como economia de energia, redução do consumo de água e diminuição do impacto ambiental estão sendo incrivelmente valorizados na atualidade, e cabe ao designer de interiores

2 – Piso salarial

Os designers de interiores não possuem piso salarial bem definido, mas escolas que oferecem o curso estimam o salário inicial, com estágio, de aproximadamente R$800,00. Para primeiro registro em carteira, o valor é elevado para R$1.200,00 em escritórios de arquitetura.

É importante deixar claro que a remuneração varia de acordo com a cidade em que se pretende atuar, o tipo de projeto que realiza e sua experiência e qualificação na área, sendo fundamental a realização da faculdade de design de interiores.

3 – Regulamentação

Há um projeto de lei em processo para regulamentar a profissão de design de interiores, o PL 4692/12. O principal objetivo dessa lei é defender que a profissão seja exercida por pessoas qualificadas na área, sendo mais uma vez, importante a realização de curso superior de design de interiores para garantir a credibilidade dos serviços apresentados.

No momento, a profissão não é regulamentada, ou seja, qualquer pessoa pode atuar na área, possuindo ou não, diploma. Investir em cursos de capacitação, sejam eles em nível técnico ou faculdade de design de interiores, aumentam as chances de conseguir um ótimo emprego na área. É necessário dizer que, os profissionais acabam sendo marcados pelo projeto realizado, ganhando reconhecimento no mercado.

O crescimento do setor imobiliário fez com que o setor crescesse, possibilitando o surgimento de vagas das mais variadas necessidades para esses profissionais. Designers que levam em consideração a sustentabilidade e a acessibilidade no momento de desenvolver seus projetos acabam ganhando mais prestígio. O setor do luxo também traz um ótimo retorno financeiro.

4 – Diferença entre design de interiores e arquitetura

Tanto os designers de interiores, quanto os arquitetos são profissionais que atuam na composição dos ambientes, sendo eles comerciais, industriais e residenciais.

O arquiteto é especializado em interiores, mas pode realizar todos os tipos de obra: derrubando paredes, mexendo em instalações elétricas e encanamentos.

Enquanto isso, o designer de interiores é responsável por cuidar somente da ambientação, não podendo realizar nenhuma obra que precise do domínios de técnicas relacionadas à engenharia.

5 – Grade horária

A graduação de design de interiores conta com uma grade horária voltada para práticas e projetos de ambientação. É difícil especificar as matérias que estão inclusas no curso, afinal, cada universidade desenvolve sua própria carga horária, porém, é preciso escolher uma escola que preze pelo aprendizado prático, principalmente relacionado à instalação e iluminação, materiais e revestimentos, desenho de móveis e cenografia de interiores.

Durante a faculdade de design de interiores, os alunos também trabalham com softwares digitais e aplicativos de simulação de ambientes.

A duração é de aproximadamente 4 anos, sendo exigido em muitas universidades a realização de estágio.

Existem ainda, o curso de design de interiores tecnólogo, com duração de apenas 2 anos e mais voltados para decoração, paisagismo e desenvolvimento de móveis e ambientes.

O contato com ferramentas digitais e as práticas profissionais também acontecem, porém, em menor quantidade, aplicação de cores e revestimento são exemplos disso. A apresentação gráfica também é uma disciplina fundamental.

Matérias profissionalizantes dão ênfase nos espaços residenciais, focando em temas como iluminação e ergonometria.

6 – Perfil profissional

O design de interior é uma profissão que exige muita criatividade, e por esse motivo, é fundamental que o profissional se mantenha atualizado e conheça as tendências de mercado e design mesmo.

Ele precisa conhecer muito sobre materiais e suas características, compreendendo e dominando onde usar cada coisa.

A gestão de pessoas também é um ponto a ser levado em consideração, afinal, o profissional deve gerenciar uma obra com diversos fornecedores e mão de obra. Manter um bom relacionamento com todos é necessário para que o projeto saia da maneira desejada.

Se sua escolha for seguir essa carreira, tenha certeza de amar todos os pontos, pois só assim você entregará algo que te encha de orgulho e satisfação.

Conheça meu trabalho e entenda mais sobre a carreira de designer de interiores: www.liligiudice.com.br

Novidades